DIVIDA DO ESTADO COM O MUNICÍPIO JÁ ATINGIU R$ 9,2 MILHÕES; PREFEITO VAI A COHAB E ACERTA DETALHES

 

Publicado em: 28/03/2019 14:53 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação

Whatsapp

 

Na semana passada, o prefeito – Marcelo Passuelo (MDB) participou de encontro, realizado em Belo Horizonte, promovido pela Associação Mineira dos Municípios (AMM). Na ocasião, em que, esteve presente mais de 300 prefeitos, o presidente da associação, prefeito de Moema – Julvan Lacerda (MDB), expôs a proposta do atual governador – Romeu Zema (Novo), que propôs pagar a divida do Estado com os municípios, somente a partir do ano que vem, e em 35 parcelas.

O prefeito – Marcelo Passuelo disse que lamenta, e que não concorda com a proposta do governo mineiro, que deve só para Fronteira, R$ 9,2 milhões. “Essa proposta foi recusada pelos prefeitos, que compareceram a assembleia da AMM. Queremos que o governador inicie o pagamento dessas dividas, ainda que parcelada, este ano. Bem como, também já pague a divida de seu governo, que também vem confiscando receitas dos municípios para tapar os rombos do Estado”, afirmou o prefeito, reconhecendo que o novo governador de Minas, deu um grande passo ao buscar o dialogo com a AMM e prefeitos. “Entretanto, a AMM, com o apoio dos prefeitos, espera que o governador tenha bom senso e comece a pagar a divida”, concluiu o prefeito.

COHAB E COPASA

Durante sua agenda em BH, o prefeito – Marcelo Passuelo esteve na COHAB, acompanhado do secretário de Administração – Jander Neiras, do assessor jurídico – Tiago Ferreira e do presidente da Câmara – Osmar Baianinho (Podemos), onde acertou os últimos detalhes com o presidente – Alessandro Marques, para implantação do novo Conjunto Habitacional Vertical (Apartamentos), em Fronteira. Ele também aproveitou a viagem, para voltar a cobrar da Copasa os investimentos previstos em contrato, e que até agora, a estatal, não iniciou. “Voltamos a cobrar da diretoria da Copasa os investimentos previstos para o nosso município, lembrando que o prazo se encerra este ano, caso contrário, eles já sabem o que irá acontecer”, assegurou Marcelo Passuelo.